27.8.06

Aquela rua da Cidade Perdida


Perdido em uma cidade que nada parece comigo, de ruas vazias e mudas com casas de muros altos e que escondem aquilo que ninguém pode ver, comecei a refletir sobre as pessoas que moravam ali, "e se eu morasse ali?" - não seria o mesmo, com certeza. Sabe quando você se sente sobrando em um lugar? É assim que me sinto quando passo por ali, ou quando me permio estar ali por alguns instantes ou por alguns minutos.

Só que nunca havia parado para perceber as transversais que cortam a rua principal daquela cidade, elas que me fizeram definir a cidade como uma cidade perdida, esse é o nome daquela cidade pra mim, a Cidade Perdida. Pela rua principal, que mais parece uma vitrina das novas tendências em tudo: carros, tênis, roupas, penteados, maquiagens e até as modas que nos tiram da normalidade ou as novas formas de "xavecar", tudo exposto e utilizado pelos moradores da cidade e não é difícil encontrar turistas por lá, há quem se desloca sim para se sentir da cidade ou para ver, ouvir e viver um pouco da ilusão criada por aquelas pessoas, e o pior, é que é uma mensagem forte e atrativa a propaganda feita pelos moradores e adoradores da Cidade Perdida.

A Cidade Perdida é famosa por suas máscaras e isso está esposto na contradição das suas ruas, quando todos se preparam para encher os barzinhos que fazem parte da vitrine de ilusões, as pessoas não apenas vestem os novos tênis, as novas roupas e fazem a melhor maquiagem e o melhor penteado, como vestem suas máscaras, encaram a realidade passageira e esquecem o que estão todo dia ao redor delas, é uma tentativa de se fazer igual aos outros, pecam por isso, tentam se isolar, se iludir com a realidade forjada.

Sabe as ruas tristes e pacatas??? Foi a forma encontrada pela verdade para se expor. O que se inventa não passa do final de semana. A verdade, por mais que escondida atrás das máscaras e muros, está explícita no vazio e na imensa solidão daquelas ruas. Até a rua principal consegue as vezes gritar que ali não existe nada do que dizem, o que veem de vez em quando são pinturas que se borram quando cada morador da Cidade volta para casa com a ressaca do seu interior, mas sabe o que é o pior? Ninguém da Cidade Perdida encherga ou percebe tudo isso, já que ninguém conhece outras cidades.

5 comentários:

Bel disse...

Chu!
Finalmente aki estou eu!rsrsrs
Ohh...adorei o texto!
De verdade!


beijão

bel disse...

eu de novo!ahiahaiu

só pra dizer q comentei em alguns textos anteriores...olha lá depois.

bjo

Társis Valentim disse...

e ai meu velho!

estamos aqui

Társis Valentim disse...

fugimos de quem somos de verdade?
ou o que somos de verdade é tão sem substância que soa falso?

quando voltamos na resaca pra casa nos encaramos realmente com a realidade?

quem de nós se preocupa verdadeiramente com a realidade?

Dedê =D disse...

Nham...por onde começar?
Não se preocupe, hoje não vai sair nenhum texto =p

Eu moro na cidade perdida. Não foi por escolha, nem posso dizer que sabia dessa condição antes de vim pra cá, só sei que ela se perdeu quando nasceu minha consciência.

É fato. Tudo aqui é como você descreveu. A pergunta é: nós que moramos aqui somos uma massa homogênia? Somos frutos ou culpados pelo lugar em que vivemos? Porque de repente me sinto sem chão diante de tantas coisas que acontecem aqui, mas ao mesmo tempo completamente encaixada em outras.

A verdade é que o pior dos defeitos desse lugar é a prisão a que nos permitimos. Nunca vi tanto comodismo, preguiça, nariz empinado como se estivéssemos na "cidade das maravilhas".

Nunca vou entender essa divisão, mas uma coisa não vai mudar: tudo acontece "do lado de lá" e "do lado de cá"! As pessoas sentem as mesmas dores, assistem o país passando pelos mesmos problemas, têm medo dos seus filhos usarem drogas, têm sonhos para o futuro....em todos os lugares vão existir pessoas dos mais diversos tipos, como se naum houvesse nenhuma divisão e é nessa variedade que vamos continuar descobrindo o que vale a pena na vida...

Se viajei muito, nem repara chu! Já te expliquei que as coisas que escrevo são pouco divulgáveis, pq naum fico pensando em quem vai ler. Egoísta eu han?!
Mas te amoooooooooooooooo iuhauahauha
=**********

PS: penso que exagerei de novo no tamanho, mas se eu quisesse escrever td que veio na minha cabeça aí sim ia ser grande =p