20.9.08

O que é isso companheiro?


A panacéia que está o atual processo eleitoral foi definido pelos próprios partidos que fizeram de tudo para, através de seus deputados e senadores, impedir o início de uma reforma política. Temos situações do tipo em que existem dois candidatos a prefeito de uma mesma cidade que contam com o apoio do PT. Isso porque as alianças municipais não seguiram a aliança que existe no âmbito federal (e não eram obrigadas a seguir), onde PT e PMDB estão juntos. É dessa união que surgem os principais conflitos.

É o caso de Feira de Santana, onde PT e PMDB concorrem à prefeitura. Assim como em Salvador. E as duas candidaturas dizem contar com o apoio de Lula e de Jaques Wagner. Lula até se comprometeu, no início, a não se envolver nas campanhas, mas... a pressão do partido foi maior. Ele já está aparecendo nos programas eleitorais pedindo o voto para candidatos do Partido dos Trabalhadores.

Aqui em Vitória da Conquista, o PDT trouxe o ministro do Trabalho para fazer campanha a favor do seu candidato, Esmeraldino Correia, que concorre com o do PT, Guilherme Menezes. O ministro desceu a ripa no Partido dos Trabalhadores, mas vai esquecer todas as críticas ao chegar em Brasília.

Não é só ele que está agindo assim. Lula - e não o PT - é, com certeza, o melhor cabo eleitoral para qualquer candidato e por isso quem era oposição e teve a oportunidade de "se aliar" ao presidente, não pensou duas vezes.

Todo mundo quer o Lula pra si, independente de ser ou não PT, ainda mais com a queda do carlismo e a morte de ACM.
.

Nenhum comentário: